TeenLove

segunda-feira, 10 de maio de 2010 21:20 Postado por Yanne Lívia.
Adolescência é fogo, ou melhor, fumaça. As coisas sempre parecem, mas quase nunca são de verdade. Nós temos a necessidade de mudar, e eu não estou falando só fisicamente. Essa metamorfose acontece por dentro. Alguns de nós, mudam com velocidade, já outros demoram meses ou até anos, e é exatamente aí que mora o perigo e a dor.  Quando estamos nos relacionando com alguém, raramente esse ritmo é o mesmo. E é por isso que a paixão acaba. Ele não é como era antes, na verdade, nada é, nunca é.  Ele mudou. Não tem essa de que você não conseguiu o acompanhar, ou ele não quis te esperar. Ninguém controla isso.
Eu costumo a dizer que o nosso coração está sempre com uma mala nas mãos, e basta um simples sinal ou um pequeno erro para que ele mude completamente o seu caminho, ou em alguns casos, se perca de vez. E o grande  problema, é que não importa se você vai ou se você fica, a sensação de ter feito a coisa errada é quase sempre inevitável. Chamam isso de angústia, mas eu costumo a dizer que são palavras presas dentro do peito. E quando não se consegue dizer, se escreve. É isso que eu faço.
 
_
Enfim minha alma respira mais leve, após uma conversa de "gente grande", desabafei com minha mãe, minha melhor amiga... Tudo voltou ao normal, enxergo agora o verdadeiro valor da vida, do amor do próximo... As coisas estão melhorando pra mim, o universo está conspirando a meu favor...
Só tenho a agradecer a Deus pelas maravilhas que tem feito em minha vida!
E um conselho meus leitores eu lhes dou: "colo de mãe é a melhor coisa do mundo, quando precisar conversar com alguém, converse com ela, ela possui a sabedoria divina  de Deus na Terra!"


beijos, ;*

Sua Opnião: 

0 Response to "TeenLove"

Postar um comentário

Todo blogueiro sabe que a opinião de seus leitores é importante, então fique à vontade para expor a sua opinião. Obrigada :)

_

Durante muito tempo eu fiquei preocupado com o que os outros achavam ao meu respeito. Mas hoje, o que os outros acham de mim muito pouco me importa [a não ser as pessoas que me amam], porque a minha salvação não depende do que os outros acham de mim, mas do que Deus sabe ao meu respeito.